A Doença Crónica do Século XXI- Facebook?!

A CrossFit retirou-se do Facebook e do Instagram, suspendendo as suas contas e publicando uma explicação que cita as falhas de privacidade, censura, segurança e a ralação com a “crise mundial de doenças crónicas”.

Esta decisão surgiu depois de um grupo particularmente grande do Facebook, Banting7DayMealPlan, popular entre os CrossFitters e com cerca de 1.65 milhões de utilizadores, dedicado à discussão sobre a eficácia de uma dieta baixa em hidratos de carbono e alta em gorduras, ter sido eliminado sem aviso prévio e mais tarde reintegrado sem qualquer explicação dada aos seus usuários.

CrossFit Inc has put Facebook and its associated properties under review and will no longer support or use Facebook services – dito em comunicado.

A reação da CrossFit pode ser uma mudança significativa sem precedentes na era da mídia social, ou pode ser apenas um mal-entendido que se resolverá rapidamente.

No entanto, o que a história nos diz é que já é habitual travar “guerras” com outras grandes corporações como a Coca-Cola, e esta condenação do Facebook pela CrossFit levanta outra questão:

 O que acontece quando o ato de sair do Facebook for encarado como uma questão legitima de saúde e estilo de vida?

Talvez a maior conquista da gigante do fitness tenha sido a sua capacidade de combinar a comunidade de um ginásio local com um senso de competição. Na verdade, nós CrossFitters, fazemos parte do “culto” desta marca. Os CrossFitters são saudáveis, têm uma boa forma física, adoram o CrossFit, falam sobre Paleo, Macros e Keto. CrossFit é um estilo de vida, e as pessoas que o vivem falam sobre ele e partilham conteúdos nas redes socias, abundantemente.

Então, o que será que acontece quando essa marca de estilo de vida, apoiada por milhões de pessoas por todo o mundo que compram roupas com a marca CrossFit, abrem suas próprias Boxs afiliadas e competem em eventos de estilo olímpico, anuncia que o Facebook é agora um inimigo?

A carta aberta contra o Facebook publicada pela CrossFit, dá um tom de anticorrupção. Para além de referir reclamações sobre a forma como o Facebook coleta e agrega informações dos utilizadores, alega que compartilha essas informações com autoridades e governos, colabora em projetos de vigilância em massa e principalmente acusa o Facebook de ser “complicit in the global chronic disease crisis”,  por eliminar contas e espaços que vão contra às ideias tradicionais de saúde.

Facebook and its properties host and oversee a significant share of the marketplace of public thought,”diz o comunicado.

Apenas o tempo nos dirá o impacto deste abandono do Facebook. Para já a marca continua a proliferar na plataforma através dos milhares de Boxs afiliadas e dos e atletas que continuam a realizar publicações.

POR:

Hélder Filipe Santos

CrossFit Coach – Box 4475 e Unbreakable Outdoor,

loading...

Deixar uma resposta