Atleta Coach e Organizador de Eventos

O Planeta CrossFit esteve à conversa com o Miguel Caratão que é atleta, coach, e também organizador de eventos. O Miguel é uma pessoa bastante conhecida no seio da comunidade CrossFitter em Portugal, e nesta pequena conversa falamos um pouco sobre o seu percurso profissional, como ele vê o Crossfit, sobre alguns projetos futuros. Enfim não perca a pequena entrevista que segue.

P.C – Tanto quanto sei és um aficionado do desporto em geral, a tua formação profissional assim o diz e quem te conhece minimamente bem sabe que é verdade. Quando é que o Crossfit entrou na tua vida?

M.C – Sim felizmente desde muito novo que a atividade física foi muito presente na minha formação. Ao longo dos anos pratiquei a nível federado diversos desportos sendo que o Futebol Americano tenha sido o mais marcante. Sendo a minha área educação física o CrossFit surge por duas situações:

1 – Como profissional da área daria-me uma maior base, conhecimento, foco na estrutura e metodologia de treino que sempre me fascinou. A versatilidade, o composto e intenso.

2 – Como atleta poderia melhorar a minha condição física.

Na altura não se falava de Crossfit como agora, não havia toda a informação na internet com conteúdos e vídeos explicativos e tive a sorte de ter amigos que também praticavam à pouco tempo, a nossa evolução era na tentativa erro e partilha. Essa partilha inicial, esse primeiro contacto devo a três bons amigos e colegas de trabalho (Pedro Vasconcelos, Marco Poço e Zé Carlos Sousa) que até hoje mantemos contacto e a mesma paixão pelo Crossfit. Hoje em dia estou como Coach na Barra Norte CrossFit ao lado do Marcelo Sartori, Diana Santos e Luís Cerdeira e juntos crescemos e tentamos inspirar os nossos alunos para uma vida mais saudável cheia de conquistas e partilhas.

P.C –  O Crossfit é a modalidade do século XXI sem duvida e é apaixonante para muitos, o que é que te apaixona na modalidade para estares ligado a 100% a este desporto que faz as delicias de muita gente?

M.C – A explicação é muito simples! RESULTA. É viciante a forma como as dificuldades se tornam conquistas, como surge uma dinâmica de grupo incrível que liga as pessoas, que as faz ser mais sociais, mais humanas, como as coisas mais simples para uns são tão complexas para outros, mas todas tem tanto valor quando dominadas. Torna as pessoas mais focadas, mais determinadas, mais resistentes às dificuldades inclusive do dia a dia. Acredito que além da componente física, a grande arma do CrossFit é ser sempre desafiante com margem de evolução onde toda a gente com maior ou menor ambição, sente sucesso no seu caminho.

P.C –  Muita gente com pouco conhecimento sobre a modalidade, confunde um pouco o que é o Crossfit no contexto de aula de quem quer apenas melhorar a sua condição e habilidades físicas, com o contexto da competição. São duas coisas completamente diferentes certo? Como profissional da área queres explicar um pouco as diferenças?

M.C – A metodologia base do CrossFit está muito bem estruturada e pensada de modo que numa aula, o praticante que faça pelo menos duas vezes por semana consiga obter bons resultados. Obviamente como em qualquer modalidade, chegar ao nível competitivo requer tempo, boas condições e muita entrega quer do atleta quer do treinador que investe muito tempo na programação mais adequada para aquele individuo. No CrossFit acontece o mesmo para quem quer competir. No entanto acredito que embora a importância da qualidade do treino específico seja muito importante, por outro a capacidade de entrega do aluno é ainda maior! Já tive casos práticos de alunos que por as mais variadas razões não dispõem de tempo para fazer treinos extras ou bi-diários e mesmo assim apenas com aulas conseguem ter um nível competitivo grande, assim como o contrario. Obviamente que juntar o melhor dos dois mundos seria perfeito, ter um atleta com tempo, e muita capacidade, mas verdadeiramente acho que a diferença esta na intensidade, na entrega que damos ao pouco ou muito que temos acesso.

P.C –  O Crossfit é mesmo para toda a gente? A metodologia diz que sim, podes tirar as duvidas sobre este tema aos leitores menos conhecedores?

M.C –  Não, não é para todos, é para quem quer! Deixa-me explicar melhor. O CrossFit está preparado para servir e dar resposta a toda a gente, mas infelizmente nem toda a gente está preparada. Acham que gostam ou que querem mas na verdade não gostam e não querem, e está tudo bem. Não podemos agradar a todos e ainda bem que há diversidade no mercado. AGORA, se a pessoa realmente quer, o Crossfit tem como adaptar, orientar cada pessoa a cada exercício ou treino. Há opções e devem ser usadas.

P.C – O papel do coach é fundamental para os alunos terem qualidade de treino, evoluírem e quererem voltar à box todos os dias para treinar. Sei que colocas todo o teu conhecimento e entusiasmo nas aulas em prol da evolução dos alunos, e também os motivas como ninguém! O que é que sentes quando vês os alunos a evoluírem e fazer pela primeira vez por exemplo um muscle up?   

M.C – É engraçado que faças essa pergunta porque não faz muito tempo estava a conversar sobre isso mesmo. Festejo muito mais as conquistas dos meus alunos que minhas! Não é que não fique feliz ou contente com o meu progresso, mas sou tão exigente comigo mesmo que penso sempre que já devia ter acontecido logo, não há grande coisa a festejar mas sim continuar a lutar para crescer e evoluir. Com os alunos é totalmente diferente, fico mesmo feliz, mesmo orgulhoso, seja um Snatch de 100kg como os primeiros Double Unders. Lá está, como referi anteriormente, é brutal quando as nossas dificuldades são dominadas. Simplesmente TOP!

P.C –  Falando agora um pouco de alguns projetos que estás envolvido, quero te dar os parabéns pela organização duas ultimas edições dos Ultimate Power Fitness Games e do Alagarve Crosstraining Summer Week, relativamente aos UPFG em que estive presente foram duas edições espetaculares. Considerado já por muitos o melhor evento de Crossfit em Portugal. Como é que surgiu a oportunidade de fazeres parte da organização destes eventos?

M.C – Ahahaha, agradeço e fico feliz por tais palavras, mas tenho perfeita consciência que existe os que gostam e os que não gostam como em tudo na vida. Quem me conhece sabe que me entrego a 100% e se tou a fazer algo é porque gosto, porque me desafia e porque acredito que possa contribuir com algo. Especificamente os Ultimate Power Fitness Games, a oportunidade surgiu poucos meses depois da primeira edição onde participei como atleta e o Nuno Araújo me propôs de futuro organizar a segunda edição. No inicio não sabia muito bem se seria capaz ou teria perfil, mas o desafio ao mesmo tempo chamava por mim, criar algo diferente, inovador e com tanta competição que começou a surgir eu poderia manter a minha parte como atleta ativa e ao mesmo tempo abrir novos horizontes como organizador. Foi e tem sido incrível.

P.C – Agora segue-se o Portuguese Showdown o primeiro evento internacional em terras Lusas, para o nosso “Dave Castro” Português como já te apelidaram e para todas as pessoas envolvida na organização é por razões óbvias uma responsabilidade acrescida certo?

M.C – Dave Castro? Era bom ter o dinheiro dele.… ahaha. Bom o Portuguese Showdown é outro projeto meu e do Nuno Araújo. Por um lado, queremos dar mais oportunidade dos nossos atletas nacionais competirem com estrangeiros no nosso território, por outro dar a conhecer à comunidade internacional o nível do nosso Crossfit, a nossa capacidade de receber atletas e criar eventos. Queremos que o Portuguese Showdown se afirme no panorama Europeu, lado a lado de outras competições bem nossas conhecidas pelo elevado numero e qualidade dos atletas como French Throwdown, Italian Showdown, Battle of London etc …

 P.C – Achas que este evento pode colocar o nosso Crossfit no mapa mundial da modalidade?

M.C – Sem dúvida que esse é o nosso objetivo e seria o nosso contributo. Era muito importante e Portugal já merecia ter uma competição que chamasse atletas para o nosso país. Vai certamente servir de ponte para possíveis parcerias, workshops, partilhas incríveis que todos nós só temos a ganhar.

P.C – Já temos muitos atletas de grande qualidade no nosso país, recentemente alguns têm participado em eventos internacionais. Na tua opinião o que é que falta para termos mais atletas a ganhar experiência neste tipo de eventos, ou até chegarem aos Crossfit Games?

M.C – Bom na verdade temos atletas muito bons, muito fortes e competitivos. Acho que para o nível dos regionals ou games era necessário termos atletas mais experientes, com mais e melhores condições que possam dedicar seu tempo exclusivamente para esse fim. Se virmos bem as novas “vedetas” que todos anos surgem nos games com 22, 23 anos fazem Crossfit há mais anos do que existe Crossfit em Portugal. Já são uma outra geração que cresceu com o Crossfit, teve outras oportunidades que aqui em Portugal grande parte de nós não teve. Acredito que em pouco tempo consigamos levar mais gente a lugares mais altos, mas é preciso tempo e oportunidade.

 P.C –  O Crossfit está a ter um boom por todo o mundo e Portugal não foge à regra, como é que vês a modalidade no nosso país por exemplo daqui a cinco ou dez anos? Não temes que que a modalidade “perca o entusiasmo” à medida que os anos passem como está a acontecer com o Zumba, que quando apareceu teve um boom enorme e agora pelo menos para mim parece-me que está a sair de moda?

M.C – Sinceramente acho que especificamente o CrossFit não é uma moda, pode em alguns casos começar por tal, mas quem já vive, e repara que não disse faz, disse vive o Crossfit à algum tempo, sabe o que estou a falar. Não é apenas um treino é algo mais, começa a fazer parte das nossas vidas, está integrado no nosso dia a dia, na nossa família, amigos e toda essa magia à volta do treino muda a vida das pessoas.

P.C – Agora para terminar, quero desde já te agradecer pela conversa e por partilhares um pouco sobre o teu percurso, conhecimento, e ideais sobre o Crossfit. Queres deixar algum conselho aos leitores do blogue? Alguma consideração final que aches importante?

M,C – Obrigado eu pela oportunidade. Continuação do excelente trabalho que este blog tem feito diariamente. Desejo muito sucesso a todos e já sabem, NO EXCUSES.

Eu é que tenho que te agradecer, primeiro porque é graças a ti e tu sabes que hoje em dia vivo e adoro o Crossfit! Uma paixão recente que me levou a criar este blogue, e por esta pequena conversa onde revelas um pouco de como este desporto é importante para ti, e para quem o pratica. Até à nossa próxima conversa, que espero que seja em breve!

VEJA TAMBÉM
loading...

Deixar uma resposta