Todos os atletas e não atletas na sua prática desportiva já sentiram o “sabor” da intensidade, uns voluntariamente, outros não voluntariamente, mas todos já se deram de caras com a mesma. Como a intensidade pode influenciar o nosso EGO MONSTER?

INTENSIDADE

Intensidade é diferente de dificuldade!

A intensidade não é um padrão de preto e branco, intensidade é um padrão cinzento. A intensidade pode fazer-te mover rapidamente como pode fazer-te mover lentamente. A intensidade pode ser provocada por um workout, por exemplo a FRAN, ou então ser provocada por um movimento executado de forma rigorosamente controlado e lento como um strict ring muscle up.

O maior problema que vou assistindo ao longo do meu percurso de treinador desportivo, é a falta de entendimento sobre o propósito que está por detrás de cada peça de treino. O objetivo não passa por executar simplesmente uma peça de treino e registar na plataforma que “eu fiz X tempo” ou “eu fiz X reps”.

Exemplo: sim, todos conseguem fazer a Fran (21.15.9 Thrusters n pull ups) conforme prescrito, mas se levares 20min a terminar a tarefa.

SERÁ QUE FIZESTE MESMO A FRAN?

Quantas vezes já te deparaste com o teu programa de treino e mais parece uma lista de compras?! O que vai acontecer é que o teu MONSTER EGO irá fazer com que tu faças todo o teu treino ao invés de apenas escolheres as peças mais importantes e aplicares a intensidade que deves aplicar nas mesmas peças. O teu monster ego não entende o propósito de cada peça, ele só quer volume de treino, mas tu e o teu coach entendem o propósito de cada bloco de treino e o porquê de ali estar.

Compreender o objetivo por trás de cada peça é fundamental para atingires a intensidade pretendida das mesmas. Depois de entendermos a “intensidade”, serás capaz de aplicar no teu treino e aí irás adquirir uma aptidão física robusta para encarar novos volumes de treino.

@brunocrisostomo

A CHAVE

Antes de iniciares cada peça de treino há duas perguntas que tu podes e deves fazer a ti próprio e não ao teu ego monster.

  • Qual é o objetivo da peça que estou prestes a fazer?

Criar um contexto real para ti sobre o porquê de estares a iniciar a próxima peça é o passo número um. Isto vai ajudar-te a identificar o estímulo que deves aplicar e não apenas para criar volume de treino desnecessário. Se analisares que não irá trazer proveito por vários motivos, é preferível passares à próxima peça de treino. Depois de teres identificado o objetivo avança para a pergunta 2.

  • Como esta peça deve ser executada?

Quando olhas para a peça de treino e questionas se serás capaz de a executar, ou porque é demasiado pesado ou porque é demasiado avançado para a minha capacidade física atual, ESCALA/ADAPTA.

SCALED IS NOT A CRIME!

Adaptar a tarefa à tua capacidade física atual não é dares um passo atrás, é dares um passo para a tua progressão. Deixares de adaptar só para alimentares o teu EGO MONSTER isso é “CRIME”! Ao alimentares o teu ego monster irás retardar o teu processo e com isso o teu progresso, ao alimentares o teu ego monster não irás colocar intensidade na FRAN só porque queres fazer RX e isso irá manter-te longe, bastante longe dos teus objetivos.

Desfruta do processo, não deixes o teu ego monster comandar a intensidade, entende o que existe por detrás de cada peça de treino, explora ao máximo cada peça, e deixa o tempo fazer o seu trabalho. Questiona os teus coaches eles estão lá para te ajudar.

LET THE COACHES COACH!

Parte 3 na próxima semana, fica atento!

Gostas-te? Partilha e comenta para que a nossa comunidade possa continuar a crescer cada vez mais profissional!

Diogo Venâncio

Diogo Venâncio, CF-L2 coach

Instagram: @v_methodology

Youtube: Diogo Venancio – Online Fitness Program

Artigo anteriorJejum Intermitente No Crossfit
Próximo artigoEgo Monster, Como Pode Interferir No Teu Processo – Parte 3

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui