Olá a todos.
Sou o Marco Machado, de Guimarães, coach na ‘caixota mágica’ Cidade Berço – The Box e também polícia municipal, em Guimarães.
Sou um apaixonado pelo CrossFit. Uma relação que se iniciou em 2013, depois de ter percebido que os meus treinos no ginásio já não eram motivadores nem proporcionavam os resultados que desejava. A condição física não era a melhor e numa prova física de admissão para a PSP tive a certeza disso mesmo. Numa das etapas era exigido que fizesse 3 strict pull-ups. Falhei redondamente. Fiz uma, a muito custo, e as outras ficaram para outras núpcias. Foi o momento-chave que precisava para mudar. Mas neste processo tive a sorte de estar rodeado de algumas pessoas-chave, que acabaram por ter influência no meu percurso.
Assisti a um treino do meu amigo Aldo Freitas, no ginásio da esquadra da Polícia Municipal de Guimarães. Lembro-me que na altura o vi fazer burpees, saltos para uma caixa e… pull-ups. Não há coincidências! Foi amor à primeira vista e a ‘relação’ dura até hoje.
Comecei a treinar com ele e com o Valter Santos, acabando por se tornar numa competição saudável entre nós. O espírito do CrossFit estava lá desde o início e permanece, passados todos estes anos.
Foquei-me naquela nova paixão e rapidamente começaram a surgir os resultados.
Ao longo deste percurso entrei em várias competições nacionais e também internacionais, nomeadamente na Grécia, Espanha e França. Foram experiências enriquecedoras a todos os níveis. Quem me conhece (ou apenas ouviu falar de mim 😁) sabe da minha alegria e boa-disposição quando entro numa arena para competir, mas também da forma como sou perante os ‘adversários’, motivando-os sempre. Afinal de contas é o que torna esta modalidade tão apaixonante e única.
Como qualquer praticante, respiro CrossFit. Partilho com todos os que me rodeiam esta paixão, seja a competir ou a dar aulas aos meus ‘Conquistadores’.

O fato de ser polícia municipal e coach na Cidade Berço – The Box, em Guimarães, obriga-me a uma gestão muito rigorosa dos meus horários. Habitualmente o meu dia começa bem cedo, às 6 da manhã e termina quase sempre para lá das 22h. Isto de ser ‘atleta’ não é fácil. Há dias em que estou tão cansado, que quando chego à box, só mesmo aquele lema de tentar ser melhor do que ontem, dá aquela motivação necessária e a força para não abrandar.

No que diz respeito à alimentação, quando tenho um objetivo estipulado, foco-me e tento seguir à risca. Nestes períodos preparo tudo no dia anterior.

Neste contexto de pandemia todos tivemos que nos adaptar a uma realidade distinta e desconhecida. Treinar sozinho é algo que já fazia habitualmente, por isso não foi complicado manter o foco. Aliás, aproveitei para treinar mais e colocar em ordem o sono e o peso…
No meio de tanta incerteza e indefinição, sem saber se haverá competições este ano, tento manter-me focado, continuando a treinar com a mesma vontade de sempre e tendo em mente duas provas internacionais, que ainda são uma incógnita, os Compostela Cross Games, em setembro, e os European Master Throwdown, na Hungria, em outubro.
Neste processo, não posso deixar de agradecer à Dra. Patrícia Pontes, podologista, que me acompanha desde o início no CrossFit, ajudando-me tanto a nível postural, diminuindo as probabilidade de lesões, como de mindset e estratégias de superação pessoal, maximizando o meu potencial como atleta e como pessoa.
Agradeço a oportunidade ao Orlando e ao Planeta CrossFit  de me dar a conhecer um pouco melhor à comunidade Tuga. Já lá vão uns anos nesta loucura saudável. Já sabem que sempre que vierem a Guimarães as portas da nossa ‘caixota mágica’ estão abertas para um treininho. Como costumo dizer: “fácil”. 😉
Por: Marco Machado

Deixar uma resposta