Recentemente, o Planeta CrossFit estabeleceu uma parceria com o Projeto de Podcast Handstandtalk. O Handstandtalk, é um projeto onde vários atletas e coach´s de CrossFit, e atletas de várias modalidades são entrevistados. Estive à conversa com o mentor e criador deste projeto, o Ricardo Cunha.

O Ricardo é de Gaia e começou cedo no desporto, o basquetebol foi o desporto onde esteve ligado mais anos, pois ele é extremamente alto. Logo o basquetebol foi uma opção um pouco obvia.

“Comecei no desporto muito cedo, fui com 3 anos para a natação, mas não correu muito bem. Tinha medo da profundidade da piscina e saí da natação. Mais tarde com 9 anos de idade, voltei para a natação, porque o programa escolar incluía natação. Nessa fase as coisas correram melhor, consegui ultrapassar o medo da profundidade.Mais tarde com 12 anos, comecei a crescer um pouco mais que os outros miúdos, “destaquei-me na altura”, e por influência do meu irmão que jogava basquetebol no Porto e dos colegas de equipa, fui experimentar o basquetebol e gostei.

Joguei dois anos nos iniciados do Porto, posteriormente fui para o Gaia, onde representei a seleção nacional tal como o meu irmão. Na altura estavam a criar uma equipa só para jogar pela seleção nacional, tinha que ir viver para fora, ou seja, era só para viver para seleção. E eu não queria isso para mim, queria ter um pouco de vida pessoal. Continuei a jogar basquetebol, mas sem representar a seleção. Entretanto acabei o ensino secundário, e quis fazer uma pausa nos estudos, deixei de jogar para ir trabalhar, com o intuito de mais tarde voltar a estudar e treinar, não aconteceu!”

O Crossfit “apareceu” na vida do Ricardo há relativamente pouco tempo, foi por intermédio de um colega de trabalho que o convenceu a fazer uma aula. E como é obvio, quem faz uma aula fica logo apaixonado pela metodologia, e o Ricardo não foi exceção.

“Por influência do meu irmão entrei para um ginásio, ainda andei lá 9 meses, mas não estava a gostar do método de treino. Parei por mais dois anos, ainda tentei voltar a jogar basquetebol, joguei em campeonatos inferiores, e na equipa da minha empresa. Mas as dores nos joelhos começaram a aparecer, e voltei a parar com o desporto. Experimentei uma aula de jiu-jitsu numa versão diferente, mais calma que o jiu-jitsu normal, ainda andei lá algum tempo, mas também deixei, era calmo demais.

Voltei para o ginásio, mas passados 3 meses voltei a perder a vontade, até que há dois anos atrás por influência de um colega de trabalho, fiz uma aula de Crossfit e adorei, fiquei todo roto mas adorei a experiencia, e nunca mais parei!”

Devido ao CrossFit o Ricardo criou um projeto de Podcast que é o Handstandtalk. Um projeto que fazia falta no nosso país, para dar a conhecer um pouco melhor os nossos atletas e coach´s. Não só de Crossfit mas de várias modalidades. E diga-se de passagem, que o Ricardo tem uma “voz de rádio” muito fixe, logo o podcast fazia todo o sentido.

“Quando comecei a praticar Crossfit, comecei a pesquisar coisas na net, e a seguir alguns atletas, e apercebi-me que em Portugal não havia nada do género. Como gosto de ouvir Podcast, e acho que tenho voz para isso, decidi fazer algo de criativo para mim, nesse sentido decidi criar o Handstandtalk, para dar voz à história de vida das pessoas.

 Comecei a pesquisar como poderia fazer um podcast, na vertente do contacto telefónico. Seria quase impossível por vários motivos, conseguir estar na presença de várias pessoas que já entrevistei. Ou elas se deslocarem para estar comigo, logo o podcast é feito por entrevista telefónica. E faz mais sentido para mim ser desta forma!”

Já entrevistei atletas de crossfit, andebol, triatlo, powerlifting, organizadores de eventos e por aí fora.”

O Ricardo quer ir mais além com este projeto, e tem uma ideia para no futuro levar o Handstandtalk para um patamar ainda mais elevado. Quer fazer uma coisa que ainda não existe em Portugal.

“Tenho pensado passar este projeto para o Youtube, ou seja, manter o podcast claro. Continuar a entrevistar as pessoas, e em simultâneo ter um vídeo no Youtube, onde vou passar algumas horas com a pessoa para dar a conhecer o seu dia a dia. É algo que já existe nos Estados Unidos, é algo que pelo menos eu saiba não existe em Portugal.”

No final desta entrevista, fiz a pergunta que faço a todos os meus entrevistados. Que é “O CrossFit é mesmo para toda a gente?”

“Eu acho que prática da metodologia do Crossfit é para toda a gente, agora que todos são atletas de competição, longe disso! Acho que toda a gente pode e deve praticar Crossfit, os exercícios são sempre adaptados a cada um. Cada um tem as suas limitações e dificuldades, mas tudo é adaptável às necessidades de cada um.”

Quero agradecer ao Ricardo esta pequena conversa, dar-lhe os parabéns pelo excelente projeto que é o Handstandtalk. Assim os leitores ficam a conhecer melhor a pessoa que está por detrás do projeto, também merece ser dado a conhecer, e não só dar a conhecer as outras pessoas!

Leave a Reply