Trabalha a Força Explosiva para teres melhor Rendimento

É muito frequente vermos atletas mais ou menos com o mesmo nível em termos físicos, fazerem double unders, ou box jumps ao mesmo tempo. Ambos com a mesma técnica, boa postura de tronco, boa extensão no final dos box jumps, boa técnica de pulso nos double unders e mesmo assim um deles acaba significativamente à frente do outro. Teoricamente deveriam acabar mais ou menos iguais, mas isso não acontece por várias razões.

crossfit-box-jumps

Quando se realiza um exercício como os double unders, ou box jumps, que é preciso força explosiva, utilizamos uma dinâmica que em termos musculares é conhecida como” ciclo curto de estiramento”. O ciclo envolve três fases distintas. Na primeira fase, os músculos agonistas (no caso dos box jumps e nos double unders, os flexores plantares e extensores do joelho) são alongados e contraem excentricamente na queda. Como por exemplo nos box jumps, na fase de “queda” para baixo da caixa, durante esta parte do ciclo que se chama “excêntrica” fase do alongamento, a energia armazenada nos músculos provem de duas fontes. Da ação de extensão dos tendões, e um reflexo neurofisiológico nos músculos “eixos “- um mecanismo que protege contra um potencial estiramento brusco dos músculos.

Fazendo uma analogia com um empréstimo bancário, os juros e o empréstimo serão amortizados ao longo do tempo. O mesmo se passa nos músculos, a energia armazenada nos músculos agonistas (os principais envolvidos no exercício), é distribuída ao longo da duração da fase de amortização. Portanto, quanto mais tempo a amortização, menos energia está disponível para a contração subsequente, chamada de fase (encurtamento) “concêntrica”.

Por outras palavras, se um atleta quer fazer o melhor uso da energia armazenada nos músculos agonistas, e exercer uma contração mais forte durante o movimento, deve minimizar a fase de amortização; Caso contrário, grande parte da energia será dissipada e perdida. Isto é crítico  quer tenhamos consciência disto ou não, todos nós com certeza na box já vimos bons e maus exemplos do uso da força explosiva. A fase da “aterragem” no solo, e a transição para o salto tem que ser feita com o menor gasto energético possível. A “aterragem” não pode ser brusca, tem que ser o mais soft possível e a transição para o salto tem que ser feita o mais rápido possível. Nos meus tempos de velocista, treinei muito a força explosiva, por isso mesmo por experiência própria digo-lhe que faz toda a diferença. O gasto energético é bem menor.

double unders

Como melhor a força explosiva

Primeiro que tudo, tem que se focar na técnica para minimizar a “carga” na aterragem no solo, tente se focar em mal os pés atinjam o solo, em tentar saltar de novo para a caixa no caso dos box jumps, nos double unders mal a planta do pé atinge o solo, deve tentar logo saltar de novo. Eu sei que nos casos dos double unders, principalmente para quem ainda não os executa bem, estar a pensar nisto pode ser complicado, mas tente. A força explosiva pode ser treinada não só nos box jumps, ou nos double unders, mesmo em outros exercícios que faz regularmente na box, pode tentar perceber com o seu coach o que pode fazer, para melhorar este aspeto do seu treino. Acredite que se melhorar este aspeto, a sua performance nos wods irá melhorar bastante.

Fonte: theboxmag.com

loading...

Deixar uma resposta