Troquei a Medicina pelo Crossfit

Estudei Medicina e trabalhei como Médica de Família e Ecografista por 8 anos, no Brasil. Como quase todos os médicos pensava que “Crossfit machuca” e tinha preconceitos com o desporto. Porém, quando deixei de fumar, ganhei muito peso e decidi me inscrever em uma box (já que para além de “machucar”, sabia que os resultados do Crossfit eram incrivelmente rápidos). Em menos de um mês já estava apaixonada e não trocava a minha hora de treino por nada! Entretanto percebi que o Crossfit mal orientado (bem como em qualquer outra actividade física) é o responsável pela ocorrência de lesões que o difamam. 
Perdi peso de pronto e logo notei, também, outras mudanças: a disposição aumentou, o humor ficou mais estável e parei de sentir dores nas costas e nas pernas (passava muito tempo em pé no trabalho). Nem insónia eu tinha mais! Em resumo: tudo melhorou exceto minhas mãos (estas, mesmo com estafas, estão uma tragédia kkkkkk). Por interesse pessoal, fiz algumas formações nas áreas de treinamento funcional, crosstraining, ginástica, halterofilismo e gestão desportiva. Em 2017, comecei a pensar com seriedade sobre trabalhar com o Crossfit. Em Novembro de 2018, a Crossfit, Inc. promoveu a primeira formação de Treinadores de Crossfit de Nível 1 exclusiva para médicos (CFMDL-1), no Rio de Janeiro. Obtive então o meu certificado e a certeza do meu novo objetivo de vida: promover a saúde através da modalidade.

O plano de morar em Portugal já existia e vi, nesta mudança, a oportunidade de trocar a farda de médica pelo fato de treino. Meu marido e eu viemos para Coimbra em Agosto e estou a trabalhar como gestora de clientes em uma das box mais fixes que conheci! Iniciei o Mestrado em Gestão de Empresas, na Coimbra Business School e pretendo frequentar o próximo CET de TEEF.

Meus familiares e amigos ficaram surpresos com a minha determinação em “viver de Crossfit”. Como eles, muitas pessoas que conhecem a minha história me tomam por louca e perguntam o porquê desta decisão. A resposta fácil é: porque vi o que o Crossfit fez por mim e quero facilitar o caminho de outras pessoas em busca de uma qualidade de vida que nem imaginam ser possível. A resposta sincera é: porque eu acredito mais no Crossfit do que em Medicina para a prevenção de doenças, longevidade das capacidades físicas e sensação de bem-estar (e não estou nem a mencionar os benefícios sociais!).

Por: Livia Romero

loading...

1 Response

  1. Rosana Valverde diz:

    Eu também estou surpresa, porém muito feliz pela sua escolha, conheço bem o desporto, por ser educadora física, e espero de coração que consiga colher ótimo frutos, sendo a ótima profissional que és!!! Em breve, retornarei.

Deixar uma resposta