Antes de tudo, gostaria de agradecer ao Planeta Crossfit e ao Orlando Silva pelo convite para vos contar um pouco da minha vida desportiva.

Olá a todos, o meu nome é Miguel Dos Santos, tenho 27 anos, nascido em Esposende, criado em Barcelos e agora residente na Póvoa de Varzim.

Ao longo da minha vida sempre pratiquei imenso desporto, tanto que no Ensino Secundário acabei mesmo por seguir o curso de Desporto e quando dei por mim já estava licenciado em Educação Física e Desporto.

O meu primeiro contacto desportivo foi com o futebol, confesso que era um bom jogador mas um problema no joelho acabou por deitar o meu “sonho” por terra, mas lá está, a paixão pelo desporto era tanta que segui o meu caminho e acabei por encontrar outra modalidade, o Judo.

Pratiquei Judo no Judo Clube de Barcelos se não estou em erro durante 8/9 anos, nesses anos ainda consegui alcançar vários primeiros lugares em competições Regionais da Zona Norte, um 3º lugar no Campeonato Nacional de Judo na categoria de Juvenis e outro 3º lugar na categoria acima, a de Esperanças.

Durante este meu percurso frequentei os estágios da Seleção Nacional de Judo durante 4 anos onde participava também em Opens Internacionais, alcancei também num desses anos um excelente 3º lugar. Tenho um espírito muito competitivo por causa desses tempos.

Com a minha ida para a Faculdade, o tempo começou a ficar curto e fui-me afastando dos tatâmis, para quem não sabe o que é, é o tapete onde se treina e se luta em quase todas as artes marciais. Acabei por abandonar a prática assídua do Judo e fui de Erasmus para Roma 1 ano, onde comecei a praticar Musculação, mas nunca me sentia completo, não é uma modalidade que me coloque um sorriso nos lábios ou um brihozinho nos olhos.

Entretanto onde moro na Póvoa de Varzim na altura que regressei tomei conhecimento que ia abrir uma “Box”, e eu surpreendido não fazia a mínima ideia do que estavam a falar e fiquei curioso, comecei a pesquisar na Internet e achei interessante e disse logo a amigos que pelo menos iria experimentar a ver o que a coisa dava. Chegava então o dia de abertura dessa Box, onde junto com amigos fomos lá inspecionar o que realmente era, e lembro-me perfeitamente que na altura olhei para um espaço grande onde “só” continha umas “racks”, barras de peso, umas “bolas” e eu pensei cá para mim, só isto??

Maldita hora que assim pensei, pois nesse dia o WOD foi a “Cindy”, fiquei sem me mexer direito durante 3 dias no mínimo e pensava para mim: É pá, não quero isto para mim, estou cheio de dores, como vou lá voltar?

A verdade é que acabei por voltar, fiquei a saber que gostava e gosto de sentir as dores no corpo, ficava com aquela sensação de “dever cumprido” pois lá tinha aguentado mais um treino de alta intensidade.

A partir daí já pratico CrossFit à cerca de 2 anos e uns mesitos, e a verdade é que não me canso disto, apesar de repetir alguns treinos, é sempre mais um teste para ver se melhorei em relação ao que já tinha feito no passado, claro que nem eu nem ninguém é O atleta perfeito, mas treino sempre mais para melhorar todas as minhas lacunas, vou ser sincero, nesta modalidade aprendi que não interessa se és o atleta mais bicho, o atleta com mais força, mas sim o atleta que consegue efetuar todos os movimentos propostos com a máxima perfeição possível, ou pelo menos ser o mais consistente, acho que o principal no CrossFit para além de ser a virtuosidade do atleta, logo atrás vem a consistência.

É para isso que eu treino, é por isso que sou tão apaixonado por esta modalidade. Amo isto, mesmo com as mãos todas em ferida, dores de corpo que por vezes me obriga a fazer tratamentos, estou sempre pronto para mais um treino, para mais um dia. Confesso que sem o CrossFit não me sinto completo, não consigo ser a mesma pessoa, sou uma pessoa mais feliz agora, passo a vida a ver vídeos de todos os atletas nacionais e atletas internacionais para ver onde posso melhorar a minha performance, a minha técnica e tentar ganhar mais consistência nos movimentos.

Dito isto, a minha paixão é tanta que acabei por ir tirar o Nível 1 de treinador de CrossFit este ano, onde espero puder ingressar nesta comunidade o mais rápido possível, dar um pouco de mim a todos. Neste momento não posso divulgar nada mas nos próximos dias haverá novidades, fiquem atentos.

Contudo este ano também tive a minha primeira prova de CrossFit, lá ganhei um pouco de coragem para enfrentar este desafio e lá fui, foram os PromoFit Games em Matosinhos, fui por equipas, participei pela Equipa onde agora treino, no OneSoul CrossFit em Vila Do Conde. Fui com todos os nervos do mundo pois não sabia o que esperar daquilo, desde o ambiente, desde os atletas e o próprio material de competição, algo estranho pois já tinha sido atleta de alta competição no passado, devia-me sentir mais confortável. Acabamos por ficar em 8º lugar, não estive ao meu melhor nível verdade, mas lá está, no CrossFit não basta ser bom em apenas meia dúzia de movimentos, no mínimo dos mínimos tem que se ser “capaz” de fazer tudo razoavelmente. Enfrentar a prova, ver onde se falhou e treinar melhor para o futuro, aí está a chave do sucesso.

Posso não ser conhecido para já nesta comunidade a nível nacional mas irei fazer por isso, irei lutar para ser sempre melhor, para dar tudo de mim até que o meu corpo não consiga mais. Apesar de tudo vem a diversão, vem o gosto pela modalidade e principalmente o gosto de pertencer a esta comunidade.

Quero agradecer aos coach’s que me iniciaram nesta modalidade, bem dita hora que apareceram: Ricardo Maia Gonçalves (SS Box), José Miguel Ferreira (Alcaides CrossFit), Bruno Gonçalves (ELITE 36), Joel Marques (SS Box).

Um agradecimento especial agora á minha equipa atual que me ajuda todos os dias a melhorar em todos os aspetos, seja na programação de treino, alimentação, nas palavras que me dirigem quando algo falha, são enormes, um muito obrigado a todos vocês no OneSoul CrossFit, sem dúvida que são como uma segunda família para mim: Fátima Catarino (és das melhores a nível nacional sem dúvida), Romão Figueiredo pelas dicas e pela paciência, André Seabra por me abrires os olhos em relação a movimentos perfeitos (a força não é tudo ehehe) e ao Tiago Campos (estás a ficar um Coach 5*, continua assim que vamos dar muitas cartas).

E lembrem-se: Don’t stop when you’re tired, STOP ONLY WHEN YOU ARE DONE.

Divirtam-se e sejam felizes.

Mais uma vez obrigado ao Planeta CrossFit pela oportunidade de puder partilhar a minha história.

Deixar uma resposta