Uma Bailarina que se rendeu ao Crossfit

Chamo-me Raquel Caturna, tenho 31 anos e sou natural de Campanhã, Porto.

Não tenho muito para contar relativamente ao meu passado desportivo. Nunca fui atleta de competição, mas sempre pratiquei desporto. Comecei pela natação, mas foi na dança que encontrei uma terapia, a forma perfeita de me expressar livremente. Durante 8 anos dei aulas de dança do ventre e participei em vários espetáculos e exibições. Estar em palco é indescritível, das melhores sensações que eu posso ter! Nestes anos de bailarina, também participava em aulas de grupo no ginásio (e assim conheci o Bruno, em 2010  😊  e fazia musculação).

   Conheci o CrossFit também em 2010 e fui fazendo alguns wod´s, mas a dança e a musculação ocupavam grande parte da minha vida, não me rendi de imediato ao CrossFit, ao contrário do que aconteceu ao Bruno Sá, o meu marido.
   A 31 de Março de 2013 fui mãe. Treinei durante a gravidez, mas depois do Simão nascer as coisas complicaram um pouco. Não tendo sido uma gravidez planeada, estava a acabar o meu curso de Estética e Cosmetologia quando descobri que estava grávida. Acabei o curso, e deixei todos os planos que tinha para mim em stand by. Fui morar com Bruno pela primeira vez exatamente no dia que saí da maternidade com o Simão, e isto implicou uma adaptação brutal nas nossas vidas.
   O meu corpo estava diferente, mas eu estava preocupada em ser mãe. Super defensora da amamentação (e prolongada), dediquei-me para dar o melhor ao meu filho, pois era essa a minha vontade. Quem me conhece bem e sabe o estilo de vida que eu tinha antes de ser mãe, percebeu o impacto que isto teve na minha vida. Quase três meses após o parto comecei a treinar. Já não morava com os meus pais, era só o Bruno a trabalhar, a ginástica financeira era imensa. Não havia dinheiro para estarmos num ginásio e muito menos numa box. O Bruno desafiou-me a recomeçar pela corrida, por trails mais concretamente. Naquelas subidas íngremes, parei muitas vezes e sentei-me a chorar. Não era eu, onde estava aquela Raquel? O corpo lento, cansado pelas noites a amamentar, mais pesado… onde estava aquela energia de outros tempos? Mas o Bruno esteve sempre comigo, do meu lado, a abraçar-me a cada paragem e a tirar-me os gafanhotos que teimavam em saltar para as minhas coxas enquanto corria!!!
   E foi assim que perdi peso, que voltei a ter um bocadinho de mim, mas sempre a contar os minutos, pois tinha um filho que mamava em livre demanda e 3h era muito tempo para ele. Entretanto, comecei a fazer uns treinos na mini, mini, mini, muito mini box que o Bruno montou na casa dos pais. Não imaginam… ele preparava-se lá para as competições e aquilo era pior do que um barraco 😅  😅, mas dava para treinar e isso era o que realmente importava. O Simão estava sempre connosco e já não precisava preocupar-me com horários. A vantagem desta metodologia de treino, para mim, era que em 1h eu tinha o meu treino feito e ficava sempre com a sensação de dever cumprido. E foi assim que me rendi à modalidade.
   Quando o Simão fez 1 ano, decidi criar uma página de facebook “Mamã Fit” (https://www.facebook.com/umamamafit) para me motivar. Não procurava, nem procuro, muitos likes ou seguidores, eu só precisava de me motivar. Provar a mim mesma que podia estar numa “excelente” forma, mesmo depois de ser mãe. Posso, sim, ter um corpo melhor, posso treinar, ter tempo para mim, cuidar de mim… E mesmo assim ser a mãe presente que fui e sou. Mesmo quando comecei a trabalhar… Mantenho a mesma vontade. Ter tempo para mim! Há sempre tempo e não me digam que não, há sempre forma, há sempre possibilidade de podermos cuidar de nós… Treinei muitas vezes em casa, podem ver aqui: https://www.facebook.com/umamamafit/videos/1483468315227564/  e aqui: https://www.facebook.com/umamamafit/videos/1509551839285878/ e o Simão adorava  😃.
   Hoje o Simão tem 5 anos e eu vejo fotos minhas antes de ser mãe e comparo com as de agora e sinto-me realmente melhor. Ouvi algumas vezes na gravidez: “Ei, lá se vai o corpinho fit!”. Eu vi esta frase como um combustível para mostrar que, na verdade, até posso ficar melhor. E eu não fui aquela mãe sortuda que em 15 dias pós-parto já está igual. Demorou mais, mas eu só dizia: “Não importa o tempo que demora, o importante é o resultado final e curtir o processo 😃“. Este estilo de vida faz-me feliz! Aproveito para agradecer muito ao Cláudio Santos @tioclaudio77 (#tioclaudioequesabe) pela ajuda que me deu na alimentação. Ele percebe mesmo muito!!!
   Mais tarde criei conta no instagram @_mama_fit e vou publicando tudo o que me motiva, treinos, fotos, o meu filho, o meu marido… A nossa box “No Limits Crossbox Gondomar” é a minha segunda casa, a minha terapia, onde treino e relaxo, onde tiro as minhas fotos para ver a minha evolução. Gosto de ver até onde consigo ir. Obviamente que também me motiva todas as Pr´s e toda a superação em cada WOD. Sou muito dedicada, mas não sou atleta, não treino como uma atleta, mas adoro treinar. Já participo em algumas competições, mas também gosto de treinar para ver um corpo trabalhado, não fosse eu da área da Estética. Como costumo dizer: “É a minha cena!”😊 Recentemente, descobri o Yoga. E pratico no espaço Siddhi – Yoga & Terapias. Precisava de algo completamente oposto, para resgatar o meu lado mais introspetivo, retornar à calma quando é necessário, saber respirar, alongar e ser ainda mais feliz!
  Quero agradecer ao Orlando pelo convite. Não me acho assim tão merecedora, mas agradeço muito a oportunidade. Se servir para inspirar, para mostrar que as desculpas nos limitam, que é sempre possível… Então, objetivo cumprido!
VEJA TAMBÉM
loading...

Deixar uma resposta